Make your own free website on Tripod.com

PUBLICIDADE:

d'artagnan juris

Ano III - Nº 28 janeiro 2002.

MACEIÓ-ALagoas 
BRASIL

doutrina:

diversos:

ANUNCIE

DOUTRINA

E-BOOKS

ENViar TEXTO

LINKS

OPINIÃO

PARCEIROS

POEMAS

PRÊMIOS

RÁDIO 

RECOMENDE

UT. PÚBLICA

refletir

.::CONTATO::.

Clique na figura abaixo e fale conosco.

.::NOTÍCIAS::.

 

.::CADASTRO::.

Clique aqui para receber os nossos boletins mensais. CADASTRE-SE!

ENQUETES

Você gostou do novo visual deste Site?
Sim
Não
Votar
resultado parcial...

Você apóia a guerra que os EUA querem promover?
Não
Sim
Não sei
Votar
resultado parcial...

<< VOLTAR

.:: IMPRIMIR ::.

.:: AJUDA ::.

POEMAS - Você em Mim [título provisório] (ASC)

Contador de visitas

Há em ti algo que me arrasta,
Que torna nenhuma a minha vontade.
Estando perto de ti sinto dor;
Longe, uma profunda saudade.

Em teus olhos encontro ternura;
Nele habita uma mulher em chamas.
Sinto-me por eles indefectivelmente tragado;
Já não sou mais eu, apenas os gestos de quem ama.

Que faço, se sou êmulo do vento que te toca,
E de tuas roupas íntimas nutro rendida inveja;
Se dos lençóis que te cobrem tenho raiva ingente,
E campeia em mim ciúme que não se peja?

Nunca, por um momento sequer, amei,
Embora o desejasse incontadas vezes.
Todavia, dês que meus lábios misturaram-se aos teus,
Estava já eu prostrado, subtraído em tuas redes.

Eu te amo como bicho, como um anjo,
Com desejo santo e inconfessável.

Quero tua alma, tua carne, teus pensamentos,
Com uma gula incontida e inamolgável.

Por isso é imperativo dizer com toda a força
O quanto desenganadamente eu te amo.
E o sinto de modo sagrado e puro,
Porém nem sempre assim: também profano.

Adriano Soares da Costa - Gruta, 03 de maio de 2000